sábado, 13 de março de 2010

DESAPEGO

DESAPEGO

Na senda de nossa busca pelo crescimento interior, dentre tantas aprendizagens, trabalhemos o: desapego.

Todo apego é ilusão... é como água de um rio que você tenta reter, mas, que escorre por entre nossas mãos...não há quem se apegue, se iluda, que cedo ou tarde não se desiluda....

Despegar é deixar ir... é se libertar...

Pense... o que neste exato momento você precisa desapegar-se? Da sua juventude, da sua beleza, do seu orgulho... dos seus bens, do seu importante nome, dos seus sonhos...é, sonhos...porque sonhos podem nos impulsionar e isto é bom, porém quando nos tornamos seus escravos, pode ser perigoso... do que você precisa se libertar? Do medo da solidão, da sua dependência por algo ou por alguém...um vicio...uma paixão que te desiludiu? De um cargo, um título que te deram... quem você precisa deixar ir em paz... um ente querido que já se foi desta etapa de vida terrena... seja o que ou quem for... para você encontrar Paz...tem que libertar, deixar seguir... e viver então seu caminho.

Tudo o que é passageiro será sempre fulgaz... se acercará de nossa vida... nos trará uma lição e irá embora...

Porém tudo o que for essência, for verdadeiro...sempre permanecerá... no coração, na alma... e com certeza nos brindará pela eternidade...

Dentre os tantos apegos, nos atentemos a um muito comum... o Amor...muitas vezes o que chamamos de Amor, traz em si uma mistura de sentimentos e por sermos nós tão imperfeitos, aprendizes da vida, nos equivocamos e chamamos de Amor... algo que melhor seria descrito por apego.

A pergunta é: Amamos sem nada esperar em troca? Tudo o que damos de nós, deve ser dado gratuitamente... seja atenção, carinho, amizade, nossas palavras, nosso tempo, nosso trabalho pelo Bem, enfim, nosso Amor. Se você respondeu que ama gratuitamente...então você vive o Amor real... caso contrário... está vivendo uma ilusão.

Pode parecer incrível, mas quando simplesmente nos damos, a vida se abre em bênçãos , alegrias e Amor infinitos... muito mais do que quando nos limitamos a uma ou a poucas pessoas a quem vamos amar ou dar nosso melhor, pois bem sabemos que nem sempre recebemos de volta a dedicação dada e mais uma vez... nos decepcionamos.

Tudo o que criamos expectativas, muitas das vezes, acabam nos gerando frustrações.

Aceitemos o que a vida nos traz com tanta generosidade, sejamos gratos por tudo o que temos e vivemos, pois basta pensar um pouco e veremos o quanto somos abençoados em sermos quem somos e vivermos a vida que Deus nos presenteou... tudo é sempre aprendizagem.

Tolice nos prendermos às aparências, às temporalidades da vida...cultivemos sempre o que não irá perecer: nosso espírito... e nos livremos de todo apego que possamos ter nesta vida... pense nessa urgência... tudo tem seu valor, sua utilidade, o perigo está em nos tornamos escravos do que tanto nos serve. O material é útil, mas não tem importância maior do que os valores do espírito que todos possuímos e vivemos para desenvolvê-los.

Nada é nosso... nada do que você aparentemente possui é seu... dia há de chegar que teremos que enfrentar de frente nossas vãs ilusões e veremos o quanto perdemos em nos manter apegados...encarcerados a qualquer situação de vida ou pessoa... podemos ser colaboradores uns com os outros, aos trocarmos experiências de vida, porém grande é nossa responsabilidade especialmente conosco em melhorar sempre, nos libertando dos apegos que nos pesam demais.

Usufrua tudo com gratidão, mas não mais se esqueça que nada nem ninguém nos pertence...

Em tudo o que nos propusermos a fazer em prol de nosso crescer é um ganho real, eterno... e entenda que a vida nos propõe tarefas a cada instante e que nem sempre nos são fáceis... mas ela, nossa sábia mestra, oferece a oportunidade do constante exercício, para nosso aperfeiçoamento visando sempre nosso maior Bem e acreditando na capacidade que todos podemos desenvolver.

Texto escrito por ValériaC em 11/03/2010

Imagem : : http://images.google.com.br

19 comentários:

  1. Olá. Estou satisfeito por ter chego até aqui e lido seu texto, as mensagens são um verdadeiro convite a reflexão sobre os apegos e desapegos, é uma arte dificl de pôr em prática, não ensinam na escola.

    Percebi q vc escreve como fala, parecia ouvir uma amiga a me contar sobre a vida, uma correspondência valorosa. Sua "carta" não tem nada daqueles discursos empolados de livros de auto-ajuda, mas acho que em mim farão o efeito do que esses prometem.

    Valeu mesmo, voltarei!

    Obs.: No quesito da diagramação, acredito q ficaria melhor para leitura se vc desse espaço entre os parágrafos. E aumentasse um pouco a fonte. Fica a dica.

    ResponderExcluir
  2. Olá. Estou satisfeito por ter chego até aqui e lido seu texto, as mensagens são um verdadeiro convite a reflexão sobre os apegos e desapegos, é uma arte dificl de pôr em prática, não ensinam na escola e nem sempre a gente tem a sorte de esbarrar em alguém q nos passe essa sabedoria.

    Percebi q vc escreve como fala, parecia ouvir uma amiga a me contar sobre a vida, uma correspondência valorosa. Sua "carta" não tem nada daqueles discursos empolados de livros de auto-ajuda, mas acho que em mim fará o efeito do que esses prometem.

    Valeu mesmo, voltarei!

    Obs.: Quanto a diagramação, acredito q ficaria melhor para leitura se vc desse espaço entre os parágrafos. E aumentasse um pouco a fonte. Fica a dica.

    ResponderExcluir
  3. Pedro, bom te conhecer e obrigada por você estar seguindo meu blog.
    Você tem razão, sempre tento escrever de uma forma simples, como uma conversa entre amigos, pois meu intuito é ter o entendimento de todas as pessoas que venham a lê-lo... é muito importante "tocarmos" quem lê, convidando à reflexão. Obrigada pelas dicas.
    Volte sempre, ficarei feliz.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  4. Shabat Shalom, Valéria!
    Como sempre, seus textos são muito inspiradores. Lendo o seu sobre o desapego até me estimulei a escrever um também que, na verdade, estava nos meus planos, pois já o tinha rascunhado. Que possamos juntos somar nossas inspirações e, quem sabe, ajudar na clarificação da energia do nosso planeta. Abraços, Hermes

    ResponderExcluir
  5. Um dicionário diferente

    Perfume: É quando mesmo de olhos fechados a gente reconhece quem nos faz feliz.
    Amigo: É alguém que fica para ajudar quando todo mundo se afasta.
    Saudade: É estando longe, sentir vontade de voar, e estando perto, querer parar o tempo.
    Adeus: É quando o coração que parte deixa a metade com quem fica.
    Fé: É quando a gente diz que vai escalar um Everest e o coração já o considera feito.
    Filhos: É quando Deus entrega uma jóia em nossa mão e recomenda cuidá-la.
    Lágrima: É quando o coração pede aos olhos que falem por ele.
    Lealdade: É quando a gente prefere morrer que trair a quem ama.
    Paz: É o prêmio de quem cumpre honestamente o dever.
    Perdão: É uma alegria que a gente se dá e que pensava que jamais a teria.
    Simplicidade: É o comportamento de quem começa a ser sábio.
    Sinceridade: É quando nos expressamos como se o outro estivesse do outro lado do espelho.
    Ternura: É quando alguém nos olha e os olhos brilham como duas estrelas.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Querida amiga, encontrei profundas verdades em seu texto e tratei de refletir um pouco. Conclui que a força motriz do desapego está exatamente em dar sem esperar a recompensa, amar simplesmente, livremente... Por isso faço coro as suas palavras: "Tudo o que damos de nós, deve ser dado gratuitamente... seja atenção, carinho, amizade, nossas palavras, nosso tempo, nosso trabalho pelo Bem, enfim, nosso Amor." Não tenho dúvidas, só o genuino desapego é capaz de tais atitudes de amor ao próximo.
    Um beijo grande

    ResponderExcluir
  7. Querido amigo Hermes! Shalom!
    Fiquei muito feliz por te inspirar, mesmo que diante da minha simplicidade...li seu texto e gostei muito e se me permite dizer...um completa o outro...o seu vem de uma maneira bem profunda, de uma maneira muita plena e faz todo sentido pra mim.
    Caminhemos sim, aprendendo juntos e ajudando o mundo no que nos for possível.
    Um grande abraço...

    ResponderExcluir
  8. Aninha minha flor... que alegria você por aqui...amei seu comentário...seu dicionário diferente.... mas que deveria ser sim o mais usado por todos nós, sempre...
    Beijos...

    ResponderExcluir
  9. Marli minha querida amiga...belíssimas suas palavras...que alegria sua presença em minha vida...amar assim é tarefa árdua...mas valiosa...se assim o conseguimos, nos traz uma plenitude em viver e em sentir Paz...
    Beijos...

    ResponderExcluir
  10. Entenda q a vida nos propõe tarefas a cada instante...uma bela postagem, inteligente e rica em momentos q nos fazem pensar. DEUS na sua infinita sabedoria dá-nos a liberdade de açõa, precisamos é meditar cada ato no que irá resultar de bem ou de mal, pra nós e nosso semelhante, sem esquecer de por meio dos nossos atos proteger este belo jardim q ELE deu-nos para zelar, nosso corpo e o próprio planeta, lindo vc esteve iluminda para vc bjos, bjos e bjossssssssss

    ResponderExcluir
  11. Querido Castanheira...obrigada por sua presença em minha vida...que beleza suas palavras...além de poeta maravilhoso...você é uma pessoa rica em sabedoria...que bom tê-lo como amigo.
    Beijosss...

    ResponderExcluir
  12. Tenho trabalhado a virtude do desapego. De tal forma que saí da vida real e entrei para as histórias. E é só ali que as pessoas existem. O mundo real é tarefa para loucos. Não me atrevo a colocar a cara na porta. Ou eles vão me descobrir e arrombar a minha casa armados de foices e gestos ensandecidos.

    Prefiro o mundo imaginário. Ao menos lá, meus pernsonagens não me afastam com as mãos.


    Fortalecedor o texto.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  13. Querida Pipa. A que sonha...você escreve lindamente... bom te encontrar por aqui...fico feliz que tenha achado meu texto fortalecedor... eu sei querida, que vivermos o desapego em sua plenitude é tarefa bastante árdua... mas estamos aqui para aprendê-lo mesmo que aos poucos a aplicá-lo em nossas vidas...mesmo que a passos pequenos... o importante é sempre caminhar rumo à libertação do que quer que nos prenda e nos faça sentir o apego.
    Beijos...

    ResponderExcluir
  14. Que lindo, Valéria!
    Nada é nosso mesmo. Quando iremos aprender?

    Lindo blog, lindas palavras.

    Voltarei.

    ResponderExcluir
  15. Querida Renata, obrigada por sua presença em meu cantinho. É amiga, essa aprendizagem é pra vida toda,não é? Mas, pouco a pouco vamos ganhando compreensão e aprendemos então, a nos desapegar.
    Beijos...

    ResponderExcluir
  16. Olá... isto é uma verdade. Embora, sempre nesta jornada da vida em algum momento nos perdemos emaranhadas nestes grilhões do apego. É quando fechamos as portas para o divino e olhamos pela janela do "humano", mas, que possamos diante do Pai rasgar nossos corações e recuperamos a sanidade. Bj

    ResponderExcluir
  17. Flor Cacau, que lindas suas palavras...temos muito forte em nós este lado humano que vive tantos apegos e como você disse, junto com o Pai trabalhemos a superação deles.
    Beijos querida

    ResponderExcluir
  18. Trabalhar o desapego é uma tarefa árdua e fundamental...

    Temos a mania de nos apegar às coisas e muitas vezes nem percebemos, agora mesmo estava lendo uma pessoa dizer que não 'viveria sem internet'.

    É incrível nosso apego à objetos, pessoas, animais, dinheiro e até mesmo à situações...

    Gostei do jeito que você terminou o texto, de forma encorajadora:

    "...entenda que a vida nos propõe tarefas a cada instante e que nem sempre nos são fáceis... mas ela, nossa sábia mestra, oferece a oportunidade do constante exercício..."


    Afinal,esse é um assunto muito difícil de ser tratado!

    Parabéns pelo lindo texto !

    ResponderExcluir
  19. Ariani...desapego é uma lição árdua mesmo...como você mesma disse, nos apegamos em pequenas coisas e nem nos damos conta... por isso é tão importante sempre darmos um tempinho para prestarmos atenção à esse detalhes. E continuar nosso exercício de aprendizagem...
    Beijos...

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails