terça-feira, 29 de novembro de 2011

A QUEM PODEMOS MUDAR? ( de ValériaC)

A única pessoa que temos o poder de verdadeiramente mudar, somos nós mesmos. Grande parte das vezes é mera pretensão da nossa parte querermos mudar os outros ou tudo o que nos desagrada no mundo para que sejam aos nossos moldes. Até porque cada um tem o seu, não é mesmo?

Um terapeuta ou alguém com algum esclarecimento pode ser um facilitador destas mudanças, mas quem realmente tem que as fazer com que se tornem realidade são as pessoas que se decidem mudar.

O que podemos fazer em nossa humildade e humanidade é trabalhar mudanças em nós e quando isso ocorre, uma vez que somos espelhos uns para os outros, se investirmos em nosso crescimento interior, começamos a refletir pensamentos, sentimentos e atitudes de equilíbrio, respeito, harmonia, enfim das mais diversas virtudes que podemos exercitar em nós e quando refletimos quem somos, especialmente o “melhor” de nós, aos poucos, quem nos rodeia, pode ser tocado a seguir nosso exemplo e se transformar também e esta cadeia vai se expandindo e tornando o mundo efetivamente melhor.

Pensemos nisto e nos lembremos do tamanho da nossa responsabilidade no que refletimos ao mundo e se queremos que ele seja mais justo, equilibrado e feliz, vamos dar o melhor que temos em nós, por uma realidade mais plena de respeito, paz e amor.

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

terça-feira, 22 de novembro de 2011

LIBERDADE(de ValériaC)

Liberdade requer coragem, mas sobretudo, responsabilidade e maturidade, em sabermos respeitar a nós mesmos, assim como o espaço de cada um com empatia.

Ser verdadeiramente livre é maravilhoso, pois nos traz uma sensação de paz.

Poder, todos nós, podemos tudo, mas, liberdade tem que andar de mãos dadas com o bom senso para nos guiar.

Ser livre é poder trair, mas escolher ser fiel.

É poder mentir, mas optar em sempre dizer a verdade. É poder ludibriar, roubar, mas querer sinceramente ser honesto.

É poder fazer o que quiser, mas ter consciência de que nem tudo nos convém, nem nos será benéfico.

Ser livre é enfrentar a vida de frente, sem máscaras, sem subterfúgios, é sermos nós mesmos; é até em determinados momentos em que poderíamos nos sentir no direito de ser grosseiros, vingativos, maldosos, escolhermos o equilíbrio, a bondade, a gentileza. Não há nada que desarme mais alguém do que quando conseguimos agir diferente do que esperariam que reagíssemos diante das circunstâncias e momentos críticos de nossas vidas, mas fazer tudo isso de coração. Sei que nem sempre é fácil, mas, mais uma vez, garanto-lhes que é possível.

Afinal, a vida traz situações as quais nós mesmos que atraímos, mesmo que inconscientemente, justamente para nos exercitar o equilíbrio em cada um dos setores de nossas vidas. E liberdade é um destes exercícios.

E você, como tem trabalhado com este “poder” chamado liberdade?

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

APOIO (de ValériaC)

Toda vez que nos apoiamos no outro, seja pais, familiares, parceiro(a), filho, [...] e não em nós mesmos, cedo ou tarde teremos sérios problemas.

A vida pede que trabalhemos em nós, que nos aceitemos, nos validemos, ela quer “ver” progressos efetivos em nós, porém quando deixamos de fazer a nossa parte e o nosso melhor nas diversas situações e áreas de nossas vidas e ficamos esperando suporte ou ficamos dependentes do amor, da dedicação, enfim, quando colocamos muito de nossas vidas e problemas nas mãos dos outros, a vida acaba nos tirando este “apoio” para que aprendamos a ser nós mesmos o nosso maior apoio.

Temos que estar atentos a isso, pois faz parte compartilharmos e aprendermos uns com os outros, trocando amor, carinho, amizade, experiências, mas temos que aprender a ser o nosso maior amigo e apoio, pois se assim não fizermos, podemos desabar, caso nos falte apoio exterior.

Temos que aprender a nos apoiar e caminhar com nossas próprias pernas, é extremante positivo e gratificante. Pensemos seriamente nisto!

Texto de : ValériaC

Imagem: daqui

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

FELICIDADE (de ValériaC)

A um tempo atrás, escrevi um texto falando sobre nos comparamos (aqui) e hoje vou de certo modo seguir nesta linha de raciocínio, mas acerca da Felicidade.

Cada vez mais tenho certeza que não devemos nos comparar em absolutamente em nada, com ninguém.

Vocês acham que é possível compararmos o que é felicidade para cada um de nós? Creio que chegaremos a um consenso de que como tudo na vida, inclusive, a felicidade, é algo incomparável, pelo menos deveria ser entendida e aceita como tal.

Mais uma vez, quem começa a comparar quem é mais feliz do que quem, seja porque tem mais dinheiro, um bom relacionamento, posição social, [...], com certeza vai haver gente se sentindo frustrado e muito infeliz. Infeliz é a mania que temos de nos comparar, nunca dá certo e muito menos nos deixa felizes.

Felicidade é algo muito particular, o que me faz feliz com certeza não é exatamente igual ao que os faz felizes. Podemos ter algumas semelhanças, mas com certeza, muitas diferenças.

Temos que aprender a ter coragem de ser sinceros conosco e ir lá no nosso interior e nos perguntar o que nos faz feliz? E mais, temos que ter coragem de buscar e viver o que temos como nossa verdade e felicidade.

Deixemos de lado as ilusões e ponderemos o que nos é essencial, para não nos perdermos no meio a tantos desejos que temos ou achamos que temos, de coisas que achamos que precisamos, porque os outros têm e na verdade, nem sempre precisamos mesmo. Vamos peneirar o que nos é de suma importância para sermos felizes, pois quando deixamos de perder tempo correndo atrás de supérfluos e nos concentramos no que realmente queremos, podemos atingir mais facilmente o essencial que nos trará mais felicidade.

Literalmente, felicidade é um estado de espírito, independe do exterior, está totalmente relacionado ao nosso interior. Por este motivo vemos pessoas pobres, ou que têm muito pouco, felizes, pois não ficam sofrendo pelo que não têm e ricos que a tudo tem, infelizes, porque apesar de terem tudo, nada os satisfaz plenamente. Sentir felicidade depende de como “olhamos” as coisas, as pessoas, tudo o que nos cerca. E cada vez mais acho, que olhar pelas lentes do coração, em muito nos ajuda perceber a felicidade até nos mais pequeninos detalhes da vida. Vamos treinar mais este nosso olhar?

Fica aqui o convite a refletirmos: “O que é felicidade para você?” ; “O que você realmente precisa para sentir felicidade?”

Texto de : ValériaC

Imagem: daqui

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

AMOR E DINHEIRO (de ValériaC)

Amigos(as), eu tive problemas para poder postar o vídeo, então estarei pedindo a gentileza para que vocês o acessem diretamente no Youtube, através do link do vídeo:

http://youtu.be/j7nriJmndXA

Hoje, baseado no vídeo acima vou falar um pouquinho do que eu particularmente considero essencial na vida, o Amor e também vou falar sobre o dinheiro.

Não se predam demais nos detalhes da tradução, não consegui achar uma que fosse totalmente do meu agrado, é só para termos uma ideia geral, certo?

A música fala sobre a preocupação excessiva em resultados e dinheiro, tanto que as pessoas deixam de lado muito dos seus valores, por dar excessivo valor ao dinheiro, mais do que tudo.

Não acho que dinheiro seja algo ruim, como muitos acreditam e muitas religiões pregam, pois creio que o problema não é o dinheiro, mas a forma como ele pode ser usado, o quanto de risco há em quem o tem, de se perder em muitas ilusões, mas convenhamos, quem não o tem, também tem ilusões. E como tudo na vida, o percebo como algo que requer equilíbrio ao lidarmos com ele.

Percebo o dinheiro como algo útil em nossas vidas, acho que ele é uma energia maravilhosa, o aprecio sim, mas sei muito bem o lugar que ele ocupa na minha vida. Sempre digo, que acho admirável aquele que tem dinheiro, tem tudo na vida e não se perde na vaidade e no orgulho, que sabe usá-lo com inteligência e segue sabendo que tudo é temporário, que temos mesmo é que cultivar o nosso interior, cuidar do nosso espirito, buscarmos sabedoria, pois isto sim, além de nos orientar a lidar com as situações concretas da vida, nos ajuda a lidar muito bem com o dinheiro e com a falta dele também, a não nos perder e termos plena consciência que o AMOR está acima de tudo, ele é que deve nos guiar a vida, sempre, pois é através dele que podemos viver a verdade, a alegria e encontrar a felicidade, não aquela baseada no exterior, mas a que vem de dentro, esta sim, ao meu ver, a mais importante e real. Afinal, tudo o que nos é útil materialmente um dia terá que ser deixado para trás, somente nossa essência, nos acompanhará pela eternidade, portanto vale a pena iluminá-la, preenche-la dos melhores sentimentos e virtudes.

E vocês o que pensam sobre isto?

Texto de : ValériaC

Imagem: daqui

Vídeo: daqui

Musica: Price Tag- Jesse J. Feat B.o.B.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

REFLETINDO CÁ COM MEUS BOTÕES (de ValériaC)

Quer ser feliz?

Cultive a alegria dentro de si e mais do que isso, seja a alegria em forma de gente a florir e alegrar os caminhos da vida.

Não quer sentir solidão?

Seja seu maior e melhor amigo, sobretudo aprecie sua própria companhia, quem se aceita e cultiva seu interior, fica bem consigo e desta forma nunca se sente sozinho e além disso, por sermos seres sociáveis, não sejamos orgulhosos, não esperemos que as pessoas venham até nós, vamos nós, ao encontro delas, de coração aberto, oferecendo amizade sincera. Isto com certeza, afasta todo e qualquer sentimento de solidão.

Quer ser amado?

Cultive, adube, regue, tire as ervas daninhas do coração e deixe o amor florescer em si, ame a si mesmo e ame muito as pessoas que encontrar pelo caminho, afinal amar é doar-se, receber é mera consequência deste doar.

Não esperemos ser amados para retribuir, amemos primeiro, demos o melhor que há dentro de nós ao mundo. Só se arrepende de amar, aquele que não ama de verdade, amar incondicionalmente sempre vale a pena.

Quer que o mundo mude para “melhor”?

Mude a si mesmo e seja o melhor de você para o mundo. Afinal, tudo na vida, sempre começa em nós...

Pensemos nisto...

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

AMÁLIA... (de ValériaC)

E assim vivia Amália, no alto de seus 82 anos, muito bem vividos, ainda esbelta, numa beleza peculiar, cabelos grisalhos, impecavelmente arrumados, presos no alto da cabeça, pele conservada, apesar das rugas que no fundo lhe davam orgulho, tinha ares de quem foi feliz, apesar das agruras da vida.

Seguia as horas, sentada em seu banco preferido, no jardim de sua casa, sob um caramanchão de flores pendentes, donde vinha uma brisa suave, trazendo o perfume das flores, que tanto lhe renovava o espírito.

E por lá observava o constante saltitar dos pássaros de galho em galho, o balançar manso das folhas e ia pensando na beleza da vida[..] e como lhe fora generosa a vida, agora, que olhava para trás, o correr dos anos, constava com alegria, que tinha tido um bom companheiro, agora descansando nos céus, três filhos maravilhosos e vivia rodeada pelos netinhos.

Tinha vontade de ensinar tantas coisas à eles, como fizera com seus filhos e foi neste instante , que determinada a fazer isso, Amália decidiu que todas as tardes, pelo resto de seus dias escreveria contando um pouquinho de seus pensamentos, enfim, tudo o que ela gostaria de ensinar e deixar perpetuando para seus netos e para quem mais quisesse ler. Buscou um caderno e caneta e iniciou o primeiro capítulo.

“Meus amores, decidi que vou lhes contar um pouquinho da minha história, das minhas experiências de vida, tudo o que ela me ensinou, em meio a tristezas, mas também, de muitas alegrias. Gostaria tanto de lhes ensinar atalhos, que os afastasse dos sofrimentos, mas sei que cada um trilha seu próprio caminho, face as escolhas que faz na vida, vivendo as lições que seu espírito mais precisa viver, mas gostaria que ao menos refletissem o que esta sua avó tem a dizer:

Como já disse antes, muito aprendi com a vida, aprendi a importância de sentir gratidão pelos dias vividos, pela beleza de cada lição recebida e muito me alegraria que aprendessem desde cedo a respeitar mais as pessoas, aceita-las, assim como saber valoriza-las, a entenderem que por trás das rugas há um coração que “fala” e sente, que vocês entendam que a verdadeira beleza do ser, nem sempre é visível simplesmente olhando o exterior, pois as maiores belezas encontramos bem lá no interior das pessoas e nós, tal qual caçadores de pérolas, temos que desenvolver a habilidade de percebe-las, pois estas são as perolas verdadeiras.

O tempo passa depressa demais, apesar de alguns momentos, as horas pareçam se arrastar, mas lembrem-se, como num piscar de olhos, décadas passam, portanto, valorizem cada um de seus momentos, para que nada tenham a lamentar ou se arrepender, pois aprendi que não vale a pena passar a vida se lamentando pelo que fez ou pelo que deixou de fazer ou pelo que não teve, mais vale fazer o melhor que sabemos e sermos gratos a tudo o que tivemos e vivemos.

Não pensem vocês que minha vida só foi de alegrias, como meu olhar, meu sorriso fácil demostra, tive também problemas, dores e sofrimentos, mas os enfrentei e com eles muito aprendi, foram lições preciosas que forjaram o meu espírito e me fez ser quem sou.

Sobretudo, não se esqueçam da importância do Amor, esta é a lição que mais quero fortemente deixar gravada em cada um de vocês e muitos capítulos pretendo dedicar a este tema essencial na vida. Por hora quero que se lembrem que o Amor que trazemos como sementes a germinar e brotar constantemente em nossos corações é infinito, com o amor que trazemos no peito, podemos abundantemente amar o mundo e se quisermos, sempre terá mais e mais para doarmos, portanto, jamais economizem amor, o demostrem sempre em palavras e gestos, o cantem em prosa e versos, o espalhem em cada canto mundo. Isto seguramente vai fazer com tenha valido a pena termos vivido.”

Amália fechou o caderno e ficou ainda a refletir. Pararia por ali e amanhã ao cair da tarde, continuaria, pois tinha tanto a falar e tão pouco tempo para tudo dizer...

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

ETERNO PRESENTE...( de ValériaC)

Em nossa vida terrena, dividimos o tempo em horas, dias, meses, anos [...], mas bem sabemos que isto não é uma realidade de fato. O tempo não é da forma que pensamos, nós o usamos assim para facilitar nossa vida aqui.

A maior verdade é que não existe passado, nem futuro, além de nossas memórias e fantasias, só existe o Eterno Presente, pois mesmo quando trazemos uma lembrança do passado à tona, o que ela nos provoca é manifestado no momento presente.

Na verdade podemos preencher cada momento com a energia que escolhermos, é nossa, essa responsabilidade. Pode parecer estranho, mas até o que julgamos ruim ou grave que nos aconteça, será mais ou menos dramático ou doloroso de acordo com o modo que escolhermos viver a experiência que nos chega. Sem sombra de dúvida, escolher é algo que vamos aprendendo ao longo da vida e quanto maior a maturidade e a lucidez que temos, melhores podem ser as escolhas que fazemos.

É sábio da nossa parte entendermos o quanto o momento Presente é o que de mais real temos e o quanto precisamos valoriza-lo, pois cada instante traz em si infinitas possibilidades e nos descortina múltiplas oportunidades de despertar e enriquecer o nosso experienciar o dom da vida.

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

MEU DESEJO... (de ValériaC)

Extasia-me o anoitecer, o azul escuro do céu, todo salpicado de estrelas, a beleza da Lua, sempre a fascinar, seja a fase que for, tornando-se tema sublime para os poetas, tempo que tudo aos poucos se aquieta, parece adormecer, tempo da semente brotar, do corpo descansar, tempo de sonhar, da alma livre, passear...

Mas confesso que amo ainda mais o amanhecer...fico deslumbrada com o seu frescor, quando ainda o silêncio predomina e ao mesmo tempo, um despertar de seres fervilha, onde fica perceptível que há todo um preparo para as atividades de mais um dia, que vem todo faceiro dando seus ares, nos trazendo um novo recomeçar.

E tudo aos poucos vai se agitando, os pássaros de todos os tipos vão voando, com seus cantos, nos saudando, nos mostrando toda a disposição que o clarear do dia traz em si, de nos ofertar (re)começos, de nos dar oportunidades de viver o novo e até de tentarmos mais uma vez o que ainda não nos foi possível. Enfim, é uma benção anunciada pela natureza para cada um de nós. Saibamos aceita-la como precioso presente e tudo façamos para que tornem-se as melhores realidades em nossas vidas.

Que saibamos acolher estas bênçãos em nossos corações, que elas nos cheguem como gotas de paz, amor e alegria, como bálsamo renovador espargido sobre os nossos dias. Que conservemos a esperança, a certeza de que tudo e todos fazem parte de uma obra grandiosa de Um Criador, que nos impulsiona e tanto quer que sejamos o melhor de nós, que amemos mais e melhor a cada dia e desta forma fiquemos mais e mais próximos Dele, percebendo-O em tudo que está fora e simultaneamente, O tenhamos bem dentro de nós, em nossos corações, desta forma irradiando tudo o que for bom, seja em pensamentos, sentimentos ou ações.

É assim que percebo cada novo dia que chega e espero que este frescor da manhã sopre em cada um de vocês, os toque na alma, acalente seus corações, que os faça crer que tudo é possível e para o nosso maior bem. Fiquem na Paz...este é o meu desejo à todos vocês e nos sintamos irmanados no Amor que paira no ar e a tudo envolve, que sejamos Todos Um.

Texto de : ValériaC

Imagem: daqui

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

FILHO É UM SER À PARTE ( de ValériaC)

“Filho é um ser à parte e não uma extensão dos pais.”

Ter filhos é uma experiência que pode ser maravilhosa, mas sabemos que podemos ter vários desafios em função disto, também.

Quando um filho é desejado, os pais anelam sua chegada, preparam cada detalhe com imenso carinho e em tudo vão sonhando, imaginando o rostinho, escolhendo o nome, esperando o dia que poderão enfim tê-lo nos braços.

Infelizmente junto a tudo isso, alguns pais acabam exagerando um pouco nas expectativas que tem com relação ao filho e aí, é que começam os problemas.

Sermos pais nos coloca uma aura de responsabilidades, pela educação, pela formação da criança como um todo, afinal queremos que nosso filho seja feliz e realizado. Porém jamais podemos esquecer que o fato da criança ser nosso filho, não faz dela uma continuação de nós mesmos, mas sim que ela é um individuo à parte, com personalidade e temperamento, que alias, podem ser bem distintos de seus genitores.

Sei que muitos ficam inconformados em ver que a genética ou o “sangue”, como diziam antigamente, não é garantia de se ter um filho “copia” de seus pais e ainda bem, pois cada ser é uma obra única e toda especial e portanto precisa ser educado e orientado sim, mas sobretudo muito respeitado também.

Temos que estar muito atentos em não impormos aos nossos filhos que eles realizem o que não pudemos realizar, ou que sigam esta ou aquela profissão que nós gostaríamos de ter seguido e não seguimos, ou viva algo em nosso lugar, realize os nossos sonhos, pois quando éramos jovens, por algum motivo, não pudemos viver e muito menos queiramos que eles sejam do “jeitinho” de alguém com quem o comparamos e dizemos que gostaríamos que ele fosse ou agisse de igual maneira.

Literalmente temos que nos lembrar que eles tem vontade própria, que farão suas escolhas e trilharão seus caminhos, sob nossa supervisão enquanto necessário e depois por conta deles próprios. E quanto melhor os formarmos, melhor preparados como jovens e adultos estarão.

É muito importante que saibamos valorizar suas qualidades, sem os mimar ou os superproteger, pois isto os enfraquece e não os prepara para a vida real e claro é sempre muito bem vindo o amor, o carinho e muita amizade, estabelecendo e fortalecendo elos fortes que os ligue positivamente.

Sem dúvida alguma, ninguém nasce sabendo ser pai/mãe, vamos aprendendo enquanto vamos desempenhando o papel, porém é sempre bom nos cercar de informações que possam nos orientar e tornar nossa missão mais acertada e nosso caminho mais suave.

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

AMOR E RELACIONAMENTO (de ValériaC)

Passamos a vida tentando aprender a como lidarmos bem com nossos relacionamentos, em especial, o romântico, mas apesar de todos os nossos esforços, nem sempre somos bem sucedidos.

Geralmente as pessoas julgam ser um fracasso em suas vidas, quando um relacionamento termina e está na hora de amadurecermos um pouco mais e vermos que tudo o que vivemos é válido, que mesmo nossos aparentes erros e desenganos, podem em muito nos ensinar, inclusive a fazermos diferente de uma próxima vez. Portanto, nada deve ser visto como fracasso, tudo é aprendizagem.

Outra situação que vejo demais é que ao fim de um envolvimento, as pessoas ficam se sentindo feridas(em seus orgulhos), querendo de volta tudo o que deram, sentem-se arrependidas por terem amado o outro, por ter se dedicado (agora, para quem não merecia), fica aquela estória de se querer de volta os carinhos dados, as fotografias e tudo o mais que lembre o relacionamento.

Sei que muitos de nós, inclusive eu mesma, já pensei exatamente assim, mas feliz foi o momento que despertei e como sempre digo, se eu fui capaz, todos são, se quiserem... e aprendi que amor para ser verdadeiro, ser maravilhoso, se faz necessário que seja literalmente incondicional, pois o bom é amar sem economia, em oferecermos o melhor de nós ao outro, seja por um dia ou por uma vida toda, enfim pelo tempo que o sentimento durar.

Como querer que o outro devolva o tempo, os carinhos, o amor que lhe dedicamos, se foi nossa própria escolha usar nosso tempo assim? Se não deu certo, tudo bem, nada a lamentar, deixemos de ser imaturos, porque amor que é amor não é mesquinho, amor é um sentimento inerente a nós e é um sentimento sem fim.

Que nunca nos lamentemos por termos amado, até mesmo quem nem merecia, é muito mais triste quem não é capaz de amar. Cada relacionamento que temos na vida, inclusive os românticos, sempre trazem inúmeras aprendizagens, promovem crescimento.

E se nos machucamos ao término de um relacionamento faz-se necessário um tempo para nos curarmos. Voltemos para nós mesmos e nos amemos muito, nos abracemos, sejamos nossos maiores amigos, nos permitamos ser curados com o próprio amor e quando nos sentirmos melhor, quando fortalecermos nossa autoestima, nos permitamos tentar a amar outra vez, porque amar, sempre valerá a pena.

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

ETERNOS PAIS...ETERNOS FILHOS...(de ValériaC)

Acho maravilhoso quando a vida nos dá a oportunidade de nos tornar “PAIS”.

Na verdade ser pai/mãe são “papéis”, sublimes sim, de grande doação e amor. O que me deixa abismada é ver o quanto nos prendemos a estes papéis, especialmente quando vejo adultos, às vezes, com bastante idade, agindo como eternos filhos, que para tudo o que vão fazer, buscam o apoio, o mimo, a proteção dos pais e do outro lado, vemos os pais, superprotetores, que não deixam o filho se libertar, ser independente, assumir suas responsabilidades na vida.

Erram todos, os pais em querer sempre ver o filho como criança indefesa e eles como muito uteis aos filhos e os filhos que em suas fantasias, acham que o papel que os pais tem que desempenhar é eterno e recusam-se a definitivamente crescer, achando muitas vezes natural toda essa dependência.

Está na hora de entendermos que tudo a seu devido tempo. Enquanto pequenos e adolescentes, é certo agirmos como pais zelosos, que passem valores, orientem, mas sempre no intuito de que os filhos num futuro breve, venham a andar com suas próprias pernas, enfim, serem responsáveis por si. Pois se não agirmos desta forma, estaremos formando pessoas imaturas, inseguras, dependentes nos diversos níveis, às vezes até financeiramente.

Vamos nos focar em ensinar a vida aos filhos sem excessos, sem protecionismo, pois muitos confundem “amor” com superproteção e no final das contas tudo o que conseguimos ao invés de ajuda-los a crescer, é torna-los adultos frágeis, com muita dificuldade em enfrentar os desafios da vida.

Se verdadeiramente amamos nossos filhos, vamos pensar bem nisto, vamos construir um belo elo de respeito, amor e amizade, tudo com equilíbrio, para que haja independência e crescimento de ambos os lados.

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

domingo, 2 de outubro de 2011

CADA UM DÁ O QUE TEM... ( de ValériaC)

“Cada dá um dá o que tem e o que pode de si.”

Podemos sentir uma verdade implacável nestas palavras.

O ser humano mesmo que não se dê conta, vive aprendendo, caminhando em seu despertar e dos muitos pontos a ser por todos trabalhado é a questão de que geralmente querermos e apreciarmos muito receber, mas nem tanto assim, nos darmos aos outros, especialmente de forma gratuita, incondicional.

Sabemos que tipicamente na maioria das vezes há trocas, e não há mal nisto, que existem pessoas mais ou menos altruístas, mas um fator que vem a complicar são as expectativas que temos com o que queremos ou podemos receber dos outros.

A vida trabalha de um modo interessante, mas tem leis imutáveis que tantas vezes nos esquecemos: “Só recebemos, o que damos”; [...]. E quanto mais este doar-se for desprovido de interesse por reciprocidade, melhor, uma vez que é infalível: “Colhemos o que plantamos”.

Tem pessoas de todos os modos e graus de maturidade e “evolução”, portanto cada um dá o que tem predominantemente dentro de si, nem mais, nem menos, o fato é que ninguém pode dar o que não tem.

Se interiormente carregarmos medo, inveja, mesquinhez, maldade [...] como padrão vibratório, será isto que manifestaremos exteriormente, de forma mais marcante.

Ao passo que se tivermos bondade, luz e amor dentro de nós, conseguiremos a maior parte do tempo, contribuirmos com emanações e atitudes benfazejas ao exterior que nos cerca.

Sempre bom refletirmos que tipo de sentimentos, emanações e comportamentos são predominantes em nós de modo a trabalharmos de forma mais consciente possível em caminharmos pela salutar reforma interior, para que possamos efetivamente oferecer o melhor de nós ao mundo.

Sem dúvida que em nosso caminhar encontraremos pessoas mais resistentes a mudar, então nos caberá aceita-las com compaixão, uma vez que ainda não têm maturidade para compreenderem o quanto investirmos interiormente é fator importante em nossa evolução.

Mas, a vida não para, o evoluir é eterno e mais cedo ou mais tarde todos progredirão em seus próprios ritmos e serão cada dia melhores, mais lúcidos, mais plenos de Luz e Amor.

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

DESESTABILIZAÇÃO X EQUILIBRIO (de ValériaC)

A vida é nossa grande mestra, especialista em não deixar ninguém estacionado; nela estão presentes desde os melhores acontecimentos e alegrias, assim como, problemas, obstáculos, as tais “pedras em nossos sapatos”, para que a tudo enfrentemos e consequentemente, superemos, mas, quanto os tornamos em amargores em nossas vidas.

Geralmente muito lamentamos por estes últimos e vamos convir que a maior parte destes problemas, nem são tão grandes assim (ainda bem), mas é impressionante como damos um poder tão grande à estas situações, o que acaba por nos desestabilizar e basta algo pequeninho nos incomodar e acabamos com o nosso dia, afetando nosso emocional, deixando-nos mal humorados, tristes ou extremamente preocupados.

Nos colocamos na corda bamba da vida, correndo atrás do prejuízo, nos esforçando a nos dar equilíbrio, mas quão frágeis acabamos nos mostrando até diante de bobagens.

É preciso que paremos de colocar tanta dramaticidade na vida, claro que às vezes, problemas mais sérios nos acometem e precisamos enfrenta-los da melhor maneira que pudermos, mas se pararmos para observar bem, muitos dos demais são situações em que colocamos muito mais importância do que deveríamos. Então, vamos analisar sensatamente o que nos ocorre e assim nos sobrecarregaremos menos.

Afinal, é natural que nenhum dia seja igual ao outro, precisamos nos exercitar a tirar dele as melhores experiências, percebendo os “obstáculos ou problemas” como lições a serem aprendidas, pois, quando assim agimos, passamos por eles sem nos desestabilizar tanto e conseguimos viver a vida com mais equilíbrio, nos poupando energias que podemos dirigir a nos fazer mais realizados, com mais leveza e felizes.

Vamos desarmar estes pequenos contratempos que nos acometem, levando a vida com responsabilidade sim, mas, menos à serio, vamos aprender a colocar mais alegria e mais serenidade em nosso viver, entendendo que para tudo há seu tempo e uma solução na vida, com toda certeza.

Isso é ter fé no processo da Vida, que além de Mestra, sempre dá um jeito de nos amparar enquanto seguimos nossos caminhos por ela.

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

AVISO...

Meus queridos(as), estarei longe por alguns dias. Levo cada um de vocês em meu coração.

Volto assim que for possível... fiquem na Paz...ótima semana...beijos

Valéria

Imagem: daqui

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

COBRANÇAS (de ValériaC)

Quem de nós nunca ouviu este tipo de pergunta:

Está namorando? Quando vão casar? E agora, quando vão ter um filho? Dali a pouco...precisa arrumar um irmãozinho... cobranças e mais cobranças de todos os tipos. Não sei se é por falta de assunto ou porque no fundo a maioria das pessoas pensa que todos devam ter comportamentos iguais, de massa, pois consideram que uma vez que a maioria vive desta maneira, deve ser o certo a ser seguido. Isto tudo está tão arraigado em nosso cotidiano, que muitos nem se dão conta de que no fundo estão cobrando uns aos outros.

Quando será que vamos entender que cada um tem o direito de escolher o que quer para si, sem ter que ser ou fazer igual aos demais. É normal e válido, o caminho que se queira seguir é direito e escolha de cada um.

Aceitação e respeito devem estar na ordem do dia. Afinal, ninguém tem que ser igual a ninguém, nem tão pouco seguir o que a maioria faz. Temos que nos libertar destas ideias limitadoras e definitivamente entendermos que o mundo caminha para uma abertura de consciência, onde infinitas são as possibilidades em todos os âmbitos da vida.

Permitirmos aos outros que sejam livres, é nos permitir exatamente o mesmo. Ao contrário do que se imagina, pode ser ótimo para todos.

Que ninguém siga um caminho porque todos seguem, mas sigam sim, os caminhos que lhes ditam seus corações e que os faça sentirem-se felizes.

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

TEMPO... (de ValériaC)

É interessante o modo como utilizamos o nosso tempo. Para alguns o tempo voa, para outros é moroso demais, os dias são intermináveis. De qualquer forma, somos nós quem escolhemos como vamos passar nosso tempo.

De uma coisa podemos ter certeza, nosso tempo nunca será perdido se:

Quando falarmos, ao invés de usar nossas palavras para criticar, fazer maledicências e fofocas, nós as usarmos com assuntos edificantes, onde haja simpatia, cordialidade, empatia, bondade...

Quando ao invés de fazer nossos serviços, sejam eles domésticos ou fora, reclamando, os fizermos com capricho, dedicação, carinho e amor...

Quando ao invés de ficarmos apáticos ou ansiosos, presos ao passado ou querendo viver o futuro rápido demais, nós nos focarmos no “presente” que é o melhor momento para estar...

Quando estivermos caminhando, no carro ou condução, ao invés de nos contaminarmos com o que não nos agrada no caminho, com a agitação do mundo, nos conectarmos com o que há de belo, mesmo no meio do caos. Sempre fico fascinada vendo belas arvores em meio a favelas ou em locais mal cuidados e mesmo assim, elas crescem e florescem lindamente, sem se perturbarem com o que as cerca, que exemplo para nós.

E assim seremos se a todo momento colocarmos nossa atenção sempre no melhor, no mais bonito, na lição a ser aprendida, no lado mais leve, mais ameno, mais amoroso de tudo e de todos os que nos rodeiam. Não que passaremos a ser insensíveis com os fatos e situações que acometem as pessoas e o mundo, porém se nos fixarmos nisto, ao invés de ajudar a mudar, estaremos na realidade “criando” mais disto, mas, quanto mais “olharmos” para o melhor de tudo, mais co-criaremos maravilhas para todos nós. Vamos pensar nisso?

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

SIMPLESMENTE SER (de ValériaC)

Ah! Como é bom quando passamos a viver em estado de humildade, de pura simplicidade!

Quando somos verdadeiros conosco e com o mundo, quando transitamos do lugar mais luxuoso ao mais comum, com o mesmo estado de espírito. Sem nos sentirmos superiores ou inferiores, porque apesar das diferenças socioeconômicas e culturais, no fundo todos somos seres humanos que estamos experienciando a vida neste Planeta, aprendendo entre tantas coisas, a amar mais e melhor.

Na verdade, pouco importa se somos reis ou plebeus, se exercemos grandes funções e cargos ou tarefas mais simples, desde que, o quer que façamos seja feito com carinho e amor, pois é isto que no final das contas, importa.

É tão bom quando há aceitação, quando não há necessidade de se competir, de se comparar, de querer ser o melhor, mais importante que os outros, porque dia virá que todos se darão conta que no fundo, somos “iguais”(não na aparência, mas em valor diante da vida), somos partículas do mesmo Criador, cada qual com seus dons e talentos, somos as diversas facetas Dele, portanto, ninguém é mais importante do que ninguém, todos são especiais, únicos e eu diria mais, divinos, cada um em sua própria “missão”.

Sei que ainda vai levar tempo para que a consciência coletiva se expanda a ponto de vivermos nesta harmonia, neste estado de espirito de tamanha leveza e equilíbrio, mas, de passos é feita toda uma jornada e feliz daquele que percebe tudo isso e trabalha em seu despertar, colaborando para que a Unidade plena de Paz e Amor Incondicional se estabeleça cada dia mais em si e no Universo...

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

ENCONTROS DE FAMÍLIA...( de ValériaC)

E foi num destes encontros de família, geralmente tão bons para todos se reverem, onde ocorreram situações interessantes que levaram Monica a observar[...].

Sempre que estas reuniões acontecem e no ambiente impera alegria, todos vão revivendo bons momentos vividos e tornam-se momentos maravilhosos de convívio e descontração entre todos. O problema começa, quando nestas festas, surge aquele que começa a relembrar o pior, o mais triste e sofrido que aconteceu em sua vida. Daí tudo vai ficando pesado, vai ficando uma aura de desconforto nas pessoas.

E este foi o momento que um tio, começou a lhe contar sua história, onde passou os diferentes tipos de necessidades e privações e foi mostrando-se como a criatura mais sofredora do mundo, que tanto teve que lutar para chegar nos dias de hoje, quase que como numa ladainha sem fim [...].

Monica, que não é uma pessoa insensível, escutou com muita educação e respeito o que ele foi dizendo, até porque sabe que todos nós passamos por muitas experiências na vida, sendo que algumas bem difíceis e marcantes, mas, ao mesmo tempo foi pensando: infelizmente há pessoas que gostam de arrastar e cultivar por toda uma vida, aquela sua imagem de “vítima”, de sofredor, aquele que teve uma infância difícil, de árduo batalhador e na medida que faz isso consigo, nem se dá conta que o que ele mais conseguiu foi gerar consequências emocionais e físicas para si, muitas vezes adoecendo, mesmo que tenha sempre sido bondoso e querido, o que era o caso de seu parente. E agora, depois de muitos anos que ela vinha estudando e observando a vida, percebia com clareza, o porquê de toda a trajetória de doenças que este tio passou ao longo dos anos. É que no fundo, lamentavelmente, ele fez de suas dores, seu maior troféu, seu maior orgulho e como faz mal ter este tipo de atitude.

Claro que ela não teve coragem de dizer nada disso à ele, já idoso. Compadeceu-se, não lhe cabia julgamentos de maneira alguma, mas, guardou a lição para si, para que se atentasse e evitasse ao máximo que este tipo de situação ocorresse em sua própria vida.

Feliz daquele que aprende a lição “observando” o caminhar dos demais, sem ter que viver o mesmo para aprender. E “sábio” é todo aquele que vive, enfrenta as situações que a vida traz e tira de cada uma delas, a sua lição e cresce com tudo isso e que não fica cultivando eternas feridas, achando que isso os torna mais vividos e mais merecedores de pena e admiração pelos demais. Na verdade, é admirável quando superamos cada fase da vida.

Afinal, a vida não para, a evolução menos ainda. Vamos nos atentar as vivências de cada momento, aprendendo o que elas nos querem ensinar e vamos partindo para outras lições. Não fiquemos empacados no passado, que foi válido sim e que muito nos ensinou, mas já passou e nosso espírito anseia por mais, por novas lições que possam enriquecer ainda mais a nossa vida , no aqui e agora.

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

LIVRES (de ValériaC)

Ah! Como é bom quando deixamos de criar expectativas com relação aos fatos e às pessoas. Nos dá um alívio...

Não, não estou falando de apatia ou muito menos de indiferença! Mas sim, de pura constatação: quando esperamos menos ou quando paramos de esperar que as coisas sejam do jeitinho que idealizamos ou que as pessoas ajam do que modo que achamos que deveriam agir, quão libertador isto pode ser!

Já imaginou o alívio, a leveza se os outros também não ficassem tendo expectativas sobre nós?

Sempre que assim agirmos, estaremos dando aos outros a oportunidade de serem livres para ser quem são, como são, de manifestarem-se de acordo com seu senso e coração.

Pode parecer utópico, mas na medida que formos nos conscientizando disto, começando as mudanças em nós, mais e mais pessoas começarão a mudar e juntos caminharemos na construção de um mundo pleno de Respeito, Paz, Amor e Unidade.

Já pensaram no quanto isso pode ser bom? Vamos fazer a nossa parte?

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

PAZ...AGORA! (de ValériaC)

Hoje vou propor um assunto polêmico e muito sério e peço que reflitam com bastante sinceridade para com vocês mesmos.

Vocês se sentem realmente em paz? Se morressem agora, a estariam sentindo em seus corações?

É...geralmente adiamos este refletir e quase sempre ouvimos a seguinte expressão quando alguém morre: agora ele(a) está em paz. Será mesmo?

Eu não quero assustar ninguém, mas sinto que alguém só pode ter paz, quando de algum modo a tem, mesmo que não seja uma constante, seja real em alguns momentos. Esperar que teremos paz quando morrermos pode ser um processo um tanto quanto moroso, se nada fizemos para tê-la ainda em vida. Afinal, paz, é busca e conquista, sempre.

Vou deixar umas perguntas no ar para que pensemos um pouco no quanto temos nos dedicado a encontrá-la em nossas vidas:

- Falta alguém para perdoarmos? Mesmo que essa pessoa tenha nos magoado, nos traído ou nos rejeitado?

- Somos capazes de perdoar a nós mesmos? E termos a humildade de ver que todo “erro” que cometemos na vida, nada mais são do que “caminhos” e aprendizagem? Que não precisamos nos martirizar eternamente por isso, mas sim, seguirmos adiante depois da lição aprendida?

- Conseguimos perceber o quanto cada lição dolorosa que passamos nos fez crescer? Somos capazes de ver tudo como lição sem sentirmos pena de nós mesmos, pois tudo sempre é para nosso maior bem, mesmo os maiores sofrimentos? Conseguimos entender que se ficarmos presos a essa pena e ao fato de nos sentirmos vitimas das situações e pessoas só nos deixam mais presos a elas ao invés de nos libertar?

- Nos sentimos em paz com tudo o que vivemos, sofremos, ganhamos ou perdemos?

Então, se ainda não conseguimos fazer tudo isso, vamos pensar bem e sermos inteligentes em buscarmos pela aceitação, pelo perdão, pela reconciliação, em tratarmos de extinguir o orgulho e em termos muito mais humildade, pois através deste agir, poderemos sentir paz conosco, paz com cada um, com toda situação que passamos e com o mundo. Pode parecer que não seja simples viver desta forma, mas tenho absoluta certeza que é possível.

Não vamos deixar para depois a conquista pela PAZ Interior, vamos trabalhar nela AGORA!

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

DIANTE DA FRAGILIDADE DA VIDA ( de ValériaC)

A todo momento ficamos sabendo de pessoas que recebem o diagnóstico de alguma doença grave, de difícil cura e com certeza, descobrir-se numa situação destas, que traz risco de morte deve ser um “choque” para qualquer um.

Bem sabemos que a única certeza que temos da vida é que iremos morrer(fisicamente), mas deparar-se com a possibilidade de que seja breve, geralmente leva a pessoa a pensar muito em sua própria vida.

Diante disso, fica ou deveria ficar claro o quanto é importante vivermos o momento presente, do quanto é valoroso investirmos em nosso interior, no quanto vale a pena desenvolvermos virtudes, nos tornando um ser humano melhor, mas quase sempre pouco nos lembramos disso na correria que “impomos” em nossas vidas. Sim, impomos, porque tudo o que vivemos e fazemos são escolhas nossas as quais de uma forma ou de outra acabamos por aceitar.

E diante da fragilidade da vida, ao ser surpreendido por uma situação assim, começa-se a dar conta do que realmente é importante na vida. Percebe-se que desperdiçou tempo demais atrás de coisas que podia-se viver sem e/ou o quanto de drama colocou-se em banalidades.

As doenças ou situações “graves” que podem ocorrer na vida das pessoas não vêm para punir, mas como algo a mais para despertar para o essencial da vida, para que sejam mudados padrões mentais, emocionais e espirituais. Tanto que em muitos casos, quando a pessoa se trata e ao mesmo tempo transforma-se interiormente ela obtem cura mesmo quando acometida por graves doenças.

É...isto é algo a mais para estarmos refletindo... não vamos deixar a vida trazer algo drástico em nossas vidas para que nos conscientizemos do que nos é essencial de verdade, impregnemos nossas vidas com boas energias, neutralizemos as “ruins”, trazendo equilíbrio nos seus vários setores, para que desta forma passemos, não sem problema algum, mas que superemos o que tivermos que enfrentar e vivamos com mais leveza e alegria. Porque fomos feitos para ser felizes e somos nós quem temos que fazer isso acontecer, apesar de tudo o que nos cerca.

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

ELOS ( de ValériaC)

Muitos podem ser os elos que ligam uns aos outros, seja pelo pensamento ou pelos sentimentos e emoções.

Elos são feitos com força energética e infelizmente nem todo elo nos faz bem.

Muitos de nós ainda sofremos, sem nem nos darmos conta de elos que fazemos justamente quando vivemos com: raiva, ódio, inveja, brigas, julgamento, medo, desprezo, rejeição e muitos outros sentimentos que ao contrário do que se imagina, criam ligações de uma forma muito danosa.

Primeiramente porque quando os nutrimos estamos emitindo vibrações deletérias aos outros e estas acabam retornando e fazendo tanto ou mais mal a nós mesmos. Isto é uma Lei Universal. E em segundo, porque no final das contas, acabamos ficando como que presos a situações de vida e a pessoas, sem entender porque muitas vezes não conseguimos sair da situação em que nos encontramos, ou não conseguimos trazer mudanças favoráveis em nossas vidas, pois estamos “presos” na teia que nós mesmos tecemos ou melhor, tramamos.

Sabedores disto, convém que fiquemos atentos ao que vibramos, a que e a quem nos ligamos energeticamente, pois isto pode fazer muita diferença em como vivemos, no quanto podemos nos sentir felizes e realizados.

Mais uma vez fica o alerta a cuidarmos muito bem de nós mesmos, em investirmos no nosso melhor, pois tudo o que somos, de alguma maneira, acaba por refletir no meio em que vivemos.

A amizade sincera, o amor, especialmente quando assume a forma incondicional, enfim, todas as virtudes, como bondade, solidariedade, compaixão são atitudes envoltas em energias que tem o poder de nos ligar de forma construtiva e quanto mais fizermos esta escolha conscientemente para nossas vidas e mais pessoas a fizerem também, melhor vai se transformando o mundo.

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

ATÉ QUANDO...? (de ValériaC)

Até quando vamos carregar em nós o que nos fez sofrer?

Sofrimentos, há muitos e de diferentes tipos no mundo, mas independentemente do “tamanho” dele, temos que parar de sentir pena de nós mesmos, pois somente quando assumimos que tudo são lições pelo nosso evoluir, é que podemos nos dar a chance de começar a escrever outros capítulos de nossa história de uma forma diferente, inovadora e se persistirmos, muito feliz.

Não nos condenemos a viver um peso pelo que vivemos no passado, seja por opções que fizemos ou porque fizeram algo conosco que nos feriu de alguma forma. Nos libertemos disto e nos concedamos a liberdade em sermos o melhor que podemos ser AGORA, pois ninguém nasceu para sofrer, apesar de vez ou outra sofrermos, como um dos meios que a vida usa para “despertarmos”, mas nascemos, sim, especialmente para sermos FELIZES!

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails