domingo, 3 de abril de 2011

E EM RITMO DE REFLEXÃO... (de ValériaC)

Olá amigos!

Dias atrás propus uma reflexão sobre o Amor ( http://docefilosofia.blogspot.com/2011/03/vamos-refletir-sobre-o-amor-de-valeriac.html ), por ter sido um texto longo, imagino que pode até ter dado um certo trabalho em lê-lo e sinceramente agradeço quem o fez. Porém, em tudo na vida é necessário empenho, para que haja efetivamente mudanças, nos possibilitando ser mais equilibrados e felizes.

Sei que o texto pode ter gerado algumas controvérsias, pois entendo que nem todos pensam como eu, ou então, não acham possível experienciar o Amor de uma forma livre e leve, de modo que seja um sentimento que somente gere alegria. Pode parecer utopia, ou até mesmo algo muito distante, no entanto podem acreditar, é possível e com certeza é real.

Longo é nosso caminho para o sentirmos assim, por esse motivo estamos aqui na vida, para aprendermos com tudo, e assim vamos nos “construindo”, nos mais diferentes aspectos do dia-a-dia.

Em se tratando de amor, especialmente o romântico, estamos ainda “engatinhando”, por isso é sempre benéfico nos conscientizar e começar a ver que somos responsáveis por nós mesmos, não podendo buscar no outro o que sentimos falta ou então esperar que o parceiro(a) nos complete ou que supra todas as nossas carências, que ele(a) faça por nós o que nos cabe fazer.

Enquanto vamos amando da maneira como sabemos, podemos paralelamente investir em nos cuidar, nos dar amor, consideração, nos tratar com carinho e respeito; vamos ser nossos “pais e mães”, pois, somente quando saímos de nossas zonas de conforto, do nosso vitimismo e vemos que somos os responsáveis absolutos por nós mesmos é que tudo começa a melhorar. Toda vez que esperamos que o outro nos dê tudo isso, acabamos nos decepcionando, pois, por mais que o parceiro(a) nos dê o seu melhor, sempre vai restar no fundo de nosso coração, alguma carência, um vazio que parece que nada preenche, porque na verdade somos nós quem temos que preenchê-lo.

Vamos investir com animo em nós mesmos, pois é maravilhoso compartilharmos sentimentos e não sermos dependentes de ninguém.

Não é egoísmo cuidar de si, na verdade é vital, pois só assim podemos somar com nosso(a) parceiro(a) ao invés de subtrairmos, “sugarmos” os outros, e isto vale para todo tipo de relacionamento humano.

Pensando sobre isto, comecemos a nos aceitar e nos amar verdadeiramente, nos tornando seres inteiros que podem se relacionar com outro ser, sendo pessoas que somam, que fazem o Amor e tudo o que é bom se manifestar.

Texto de: ValériaC (em 25/03/2011)

Revisão: Danilo Carvalho

Imagem: http://images.google.com.br

21 comentários:

✿ chica disse...

♥ ♥ ♥

Valéria, novamente chego aqui e vejo uma linda reflexão.

Só poderemos amar ao outro se nos amarmos primeiramwente. Nada adianta.
O amor não se ensina nos manuais, devemos sentí-lo ou vivenciá-lo...Só assim é eficaz.

Linda postagem! beijos,ótima semana cheiiiiiiinha de amor!chica

♥ ♥ ♥

Carlos Varoli disse...

Oi amiga querida, sua colocação sobre amar e principalmente sobre a expectativa da reciprocidade está perfeita.
Estamos ainda em busca de engrandecimento da alma eterna e a escalada de aquisição de valores morais (amor) está ainda no começo.
Por vezes criamos expectativas com relação a outras pessoas que infelizmente não estão buscando o que nós buscamos, ou não sentem e entendem a vida como nós, e isto gera em nós frustração e decepção.
O que realmente precisamos é compreender nossos semelhantes respeitando o estado evolutivo deles com indulgência e amor. Assim sairemos machucados, mas não tanto.
Que Deus abençoe sua vida.
Que a providência divina continue iluminando e protegendo seu coração.
Tenha uma linda semana, irmã querida.
Beijos,
Carlos espírita.

Lucinha disse...

Oi Valéria!

Li os dois textos. Eu sempre falo que não acredito em "minha metade" porque Deus nos fez inteiros, portanto, para mim, não existe "minha metade". Sou inteira, Deus me fez desta forme e preciso, na minha vida, de pessoas que ACRESCENTEM algo positivo. Somente, ACRESCENTAR.

Esse amor incondicional o qual você cita, só o vejo nas "mães". Infelizmente não consigo ver nas demais pessoas que conheço. Mãe ama de uma maneira absoluta, com total entrega, renúncia, mas nos romances, as pessoas ainda não aprenderam. Existe a possesividade: "Ele é meu" Só meu!" ou "Ela é minha" Só minha!" Tenho certeza que já ouviu estas frases diversas vezes. Concordo com tudo o que você escreveu. Penso exatamente assim, mas nós, seres humanos, ainda somos muito materialistas e por isso não aprendemos a amar como JESUS nos ensinou.

Na verdade, muitos não amam nem a si próprio(a) e, assim não sabem amar o outro, como vc mesma cita em suas reflexões.

AMOR, uma palavra tão pequena, mas de valor gigantesco!

Estamos em processo evolutivo e chegaremos lá sem dúvida!

Obrigada por textos tão maravilhosos!

Super beijo

Fique com DEUS :)

Livinha disse...

Valéria,
Lindo texto.
O amor é isto mesmo, reciprocidade, compreensão, lívre de cobrança, satisfação.
Ah o amor, tão complicado como se queira ver, mas tão fácil de compreender, quando ele não se explica, chega alegre, saltitante, feliz da vida e se dar na entrega plena sem nada esperar em troca...

Minha amiga, tenha uma linda semana.

Carinhos de beijos

Livinha

Eliane Gonçalves disse...

Querida,

Li seus dois textos e concordo em cada ponto e vírgula com você.
O amor é leve, mas penso que ainda estamos em um nível de evolução nesse planeta que nem sempre conseguimos ter essa visão, eu já tenho essa visão, mas confesso que às vezes ainda perco a cabeça e me pego fazendo coisas que deixam o amor um pouco mais pesado...
Mas é possível sim, viver uma história de amor leve e cheia de alegrias e aprendizado, digo por experiência própria, meu casamento não é perfeito, mas conseguimos ter um nível de equilíbrio legal...uma harmonia familiar e isso está no fato de sabermos que o fato de amar não me faz dono do outro...

Parabéns pelos textos...

Eliane.

★Cigana do Oriente disse...

Oi Val, seus textos como sempre são muito reflexivos e maravilhosos
Tenho visto várias postagens em blogs falando sobre medos de ficar sozinhos, medos de envelhecer e percebo como as pessoas colocam suas expectativas e carências nos outros.
O amor, o companheirismo tem que vir pra somar e não pra sugarmos algo não é?
Perfeitas suas colocações
Beijos e uma semana abençoada pra ti!

Rô... disse...

bom dia Valeria,

como parece difícil para algumas pessoas amar,não é mesmo?

mas acho tão simples,
pra mim é apenas sermos nós mesmos,
verdadeiros e por inteiro,
pois o ser humano foi criado para amar...
mas o homem gosta de complicar,
então cria cobranças,dúvidas e exigências...
aí o amor esse sentimento tão leve e lindo se sente acorrentado e se perde...

amiga lindo o que escreveu...
amar é só amar!!
e pronto...

uma linda segunda
beijinhos

Anne Lieri disse...

Valeria,que lindo seu texto!Dificil nos reformularmos mas é preciso para não sair por aí culpando os outros pela nossa deficiencia de amar!Adorei!Bjs,

Nilce disse...

Oi Valéria

O amar e ser amado só depende de nós mesmos.
Quanto mais distribuímos esse belo sentimento, com intenções de felicidade, alegria, generosidade e solidariedade, não há como não fazer bem.
Que sabe amar distribui felicidade.

Bjs no coração!

Nilce

Vozes de Minha Alma disse...

Querida Valéria,
O Amor acredito eu, envolve uma série de questões para que ele dure e se fortaleça.
Com certeza, primeiramente temos que nos amar, e cuidar de nós mesmos, para que possamos com vigor, alegria, e disposição e um sentimento bem solidificado, nos doar para o outro.
Não quero de maneira nenhuma retocar ou dar pitacos em teu maravilhoso texto, viu? rsr
Até porque sou um mero aprendiz.
Mas o amor deve ser cuidado, acariciado, e fomentado dentro de nossos corações, pois quem ganha somos nós.
Desde quando este amor seja verdadeiro.
Um abraço afetuoso, bjs.

Marcia disse...

Querida Valéria,
que linda reflexao! Acredito no amor, sim! E tem que comecar por nós, sem trocas sem esperas...Temos que nos amar primeiramente, pois só damos o que temos para dar.. O verdadeiro amor, exige um pouco de abnegacao de altruísmo, mas é o que o faz lindo. O amor é uma daquelas coisas que quanto mais damos, mais o temos. Aquele que doa flores é o primeiro que fica com as maos perfumadas.

Uma feliz semana!!!
Beijos,

Élys disse...

Um texto muito bom.
Para amar é necessário se estar inteiro para poder acrescentar, somar e para isso é preciso que se tenha aprendido a se amar.
Beijos.

Aleatoriamente disse...

Valéria querida, teu texto estava lindo.
O amor é fonte de todo o entendimento.
Seja ele de espírito ou não.
Com ele aprendemos muito.
Concordo com a Chica.
"Só podemos amar o outro se nos amarmos primeiramente".
É a mais pura e real verdade.
Gostei do texto, aliás todos são muito reflexivos.
Parabéns minha querida.

Beijo
Fernanda

Jorge Nectan disse...

Outro dia estava a pensar comigo: para eu amar ao próximo, devo amar a mim mesmo, se não como expressar um sentimento pelo outro se não sinto e não sei exprimir este sentimento por mim?
Então veio a pergunta: como vou me amar se não tenho referência no Amor? Como vou sentir amor por mim se não sei o que é amar?
Será que para aprender a me amar, só através do exercício de amar ao próximo?

Minha amiga, um super beijo!!!!

ValériaC disse...

Meus queridos(as), grata por seus comentários, que só vem a acrescentar a reflexão que foi proposta...

Jorge meu anjo, bela questão... só posso crer que o amor é algo absolutamente inerente ao ser humano, todos o tem, mesmo a "pior" das criaturas, o sente, seja por algo, alguem ou algum bichinho...enfim, o seres, com o passar dos tempos, foram evoluindo, de um jeito de manifestar mais grosseiro, para um mais suave, como o percebemos hoje em dia.
E como tudo tem mesmo que vir de dentro pra fora, ou seja, tem que começar em nós, para manifestar exteriormente, temos mesmo que começar nos amando...de que forma? Sempre que nos respeitamos, nos damos força, incentivamos a nós mesmos, nos tratamos com carinho, paciência, estamos nos amando... daí então, na medida que fazemos isto e até mais, por nós mesmos, nos tornamos mais aptos a amar os outros, claro que ainda ao nosso próprio modo.
Amar é um exercício constante na vida, o amor é amplo e podemos manifestá-lo simultaneamente conosco, com os outros, com a natureza, etc... em tantos modos.
O importante é deixar esta energia fluir. O que precisamos é nos esforçar e irmos aperfeiçoando este amar, para que caminhe cada vez mais à incondicionalidade.


Beijinhos pra todos voces...

Maria José disse...

Valéria. Essa forma de amar é indiscutivelmente a mais madura e equilibrada. Mas como você mesma disse, ainda estamos engatinhando nesse processo do amor. Precisamos aprender a nos amarmos, a lidarmos com o desapego etc, para então, nos entregarmos ao outro de forma inteira, plena e feliz. É um caminho e demanda tempo e amadurecimento consciencial. Mas chegamos lá. Beijos, amiga.

Talita disse...

Olá

O amor, simples e puro é o que nos move, é o que move o planeta e o universo... Linda mensagem

Paz

Sônia Silvino disse...

Amiga querida!
Como poderemos amar outra pessoa se não nos amarmos. Não seremos uma boa companhia. Que texto, hein?! Parabéns!!!
Beijinhos!

taio disse...

interesant

Minhas Pinturas disse...

Olá Valeria C.
Amar-se, a meu ver, é o melhor caminho para poder amar as pessoas de sua convivência. Concordo também com você quando diz que não devemos delegar ao parceiro o que não somos capazes de fazer em termos de realização pessoal, ou qualquer outro ponto.
Sou muito feliz no meu casamento, entretanto a diferença entre nós existe e serve para nos completar. Ele gosta de madeira e cerâmica, eu gosto de cristal e porcelana, isto não o diminui, nem o engrandece, nem tão pouco a mim. Existe e precisa existir a compreensão, o abrir espaço, contornar e equilibrar, para poder compartilhar o amor.
O mesmo comportamento temos aqui com relação ao casal de filhos de personalidades completamente diferentes um do outro, já começa por serem de sexos diferentes, riri...
Existe entre nós uma brincadeira dizemos que somos uma família retangular com 2 lados iguais dois a dois, isto é o filho tem um jeito de pensar e gostos parecidos com os meus e a filha com os do pai. Quando surge a divergência há que se discutir qual a melhor opção e nada de se sentir vitima.
Gosto muito de ler seus textos e aí vai um selinho está la no meu blog é só clicar.
Beijos, Léah

wcastanheira disse...

Um texto para um areflexão profundo, um analizar caminhos e pensamentos e após isto ir andando em águas mais profundas, o amor na sua concepção leva mtas pessoas a erroneas teses, vc foi mais uma vez iluminada, merece bjos, bjos e bjossssssssss

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails