segunda-feira, 5 de setembro de 2011

ENCONTROS DE FAMÍLIA...( de ValériaC)

E foi num destes encontros de família, geralmente tão bons para todos se reverem, onde ocorreram situações interessantes que levaram Monica a observar[...].

Sempre que estas reuniões acontecem e no ambiente impera alegria, todos vão revivendo bons momentos vividos e tornam-se momentos maravilhosos de convívio e descontração entre todos. O problema começa, quando nestas festas, surge aquele que começa a relembrar o pior, o mais triste e sofrido que aconteceu em sua vida. Daí tudo vai ficando pesado, vai ficando uma aura de desconforto nas pessoas.

E este foi o momento que um tio, começou a lhe contar sua história, onde passou os diferentes tipos de necessidades e privações e foi mostrando-se como a criatura mais sofredora do mundo, que tanto teve que lutar para chegar nos dias de hoje, quase que como numa ladainha sem fim [...].

Monica, que não é uma pessoa insensível, escutou com muita educação e respeito o que ele foi dizendo, até porque sabe que todos nós passamos por muitas experiências na vida, sendo que algumas bem difíceis e marcantes, mas, ao mesmo tempo foi pensando: infelizmente há pessoas que gostam de arrastar e cultivar por toda uma vida, aquela sua imagem de “vítima”, de sofredor, aquele que teve uma infância difícil, de árduo batalhador e na medida que faz isso consigo, nem se dá conta que o que ele mais conseguiu foi gerar consequências emocionais e físicas para si, muitas vezes adoecendo, mesmo que tenha sempre sido bondoso e querido, o que era o caso de seu parente. E agora, depois de muitos anos que ela vinha estudando e observando a vida, percebia com clareza, o porquê de toda a trajetória de doenças que este tio passou ao longo dos anos. É que no fundo, lamentavelmente, ele fez de suas dores, seu maior troféu, seu maior orgulho e como faz mal ter este tipo de atitude.

Claro que ela não teve coragem de dizer nada disso à ele, já idoso. Compadeceu-se, não lhe cabia julgamentos de maneira alguma, mas, guardou a lição para si, para que se atentasse e evitasse ao máximo que este tipo de situação ocorresse em sua própria vida.

Feliz daquele que aprende a lição “observando” o caminhar dos demais, sem ter que viver o mesmo para aprender. E “sábio” é todo aquele que vive, enfrenta as situações que a vida traz e tira de cada uma delas, a sua lição e cresce com tudo isso e que não fica cultivando eternas feridas, achando que isso os torna mais vividos e mais merecedores de pena e admiração pelos demais. Na verdade, é admirável quando superamos cada fase da vida.

Afinal, a vida não para, a evolução menos ainda. Vamos nos atentar as vivências de cada momento, aprendendo o que elas nos querem ensinar e vamos partindo para outras lições. Não fiquemos empacados no passado, que foi válido sim e que muito nos ensinou, mas já passou e nosso espírito anseia por mais, por novas lições que possam enriquecer ainda mais a nossa vida , no aqui e agora.

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

25 comentários:

♫*Isa Mar disse...

Bom dia Val,aplausos para tua crônica, eu ando com algumas em rascunho, assim como orações também e depois de ver tão belo texto me animei em postá-los também.
A Mônica tem toda razão devemos tirar ensinamentos de tudo quanto convivemos, é uma maneira de aprender sem passar por grandes sofrimentos.
A maioria das pessoas vive assim, cultivando o passado como um troféu e é incrível como atrai pra si pessoas com a mesma maneira de ser, tornarndo-se um círculo de sofrimento sem fim, aumentando ainda mais a aura de negativismo do planeta.
E pior...essas pessoas ainda ficam irritadas quando alguém tenta de alguma forma mostrar á elas que isso não é saudável.
Claro que com pessoas de idade temos que respeitar, afinal não tem conhecimento e já não é tão fácil mudar, mas tem tantos outros que são bem mais jovens e que ainda podem fazer algo por si e mudar tudo isso, basta querer.
Adorei amiga, te desejo uma semana cheinha de paz e harmonia, beijos no coração!

Ives disse...

Nossa, eu precisava ler isso! Precisamos focar no que é crucial, e buscar, sem reviver as tristezas. Abraços

✿ chica disse...

Que coisa mais maravilhosa,Valéria. Verdades purinhas aqui!

E sabes que eu participo de vários projetos de escrita, tudo porque adoro escrever e isso me estimula. Recebo emails de pessoas que se identificaram com a mensagem de uma das últimas participações. No entanto, bem pertinho de mim, há que nem capte aquilo, nem se ligue e cada vez que acontece uma virada, um susto na vida, fica completamente abatida e quase entregue.

Como é difícil isso! beijois,tudo de bom,chica

Bergilde disse...

E como Valéria '(...)há pessoas que gostam de arrastar e cultivar por toda uma vida, aquela sua imagem de “vítima”, de sofredor(...)', e que tentam portar consigo nesse pessimismo aqueles que não se entregam,mas combatem o bom combate de todos os dias.Altruísmo sim é o que se deve propagar e a família,esses encontros e reuniões são ótimos para isto.Ver o lado positivo das coisas apesar de tudo!
Grande abraço nesse começo de semana pra você!

AC disse...

As aprendizagens são uma constante da nossa vida, mas quem nelas aplica a humidade e a sensibilidade recolhe melhores frutos...

Beijo :)

Taís Marçal Diniz disse...

Lindo texto!
Gostei muito, parabéns!
Beijos!

Meire disse...

Valéria, minha querida e doce pessoa, não conhecia esse seu outro bloguito, só o Algodão Doce. Gostei muito daqui, pois percebi que é um cantinho pra refletirmos e isso sempre traz crescimento.

Jamais devemos ser pessoas revoltadas com a vida e com o que ela nos traz, tem uma frase que diz: "A vida é sábia e não joga para perder. Quando ela traz um desafio, é porque a pessoa está madura para vencê-lo." e se fazer de vítima não resolve problema algum, não nos deixa sequer tirar a lição necessária da situação. A vida não pára, é um constante aprendizado então temos que estar sempre munidos de papel e caneta pra escrever e não esquecer cada liçãozinha!

Que sua semana seja especial, bjokitas com master carinho :)

Anne Lieri disse...

Valeria,infelizmente há muitas pessoas que parecem participar de um campeonato da dor...rss...querem ser a mais sofredora do mundo,não vendo que todos somos iguais perante Deus e que o que vem pra um,pode vir pra outro tb!Uma linda msg final nos alertando para não atrair esse tipo de atitude para nossa vida!Bjs,

Andréia B. Borba disse...

Meu Deus que texto mais lindo! Adorei!
E como me identifico com Mônica... Estou sempre a observar as pessoas e também acredito que algumas, de certa maneira, sentem uma certa satisfação em ostentar a postura de vítimas... Algumas pareçem ter prazer em mostrar-se sofredoras, desamparadas, injustiçadas etc.
Enquanto estão a lastimar sequer se dão conta da vida que passa a galope ante seus olhos...

Um grande beijo minha querida!
Déia

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Os encontros de família
são reveladores.
Falam, revivem, alegram, machucam.

Mas o texto poderia ser sintetizado
nesta afirmação:

" Feliz daquele que aprende a lição “observando” o caminhar dos demais, sem ter que viver o mesmo para aprender"

Palavras para refletir.


Viver é sentir os sonhos
com o coração.

ⓣⓔⓡⓔⓢⓐ ⓒⓡⓘⓢⓣⓘⓝⓐ disse...

Oiee
Val...tem horas que certas lições tem q ntrar nem q seja por processo de osmose num é mesmo??
Obg por compartilhar!!
Bjs♥Paz e ótima semana!!

Élys disse...

Minha querida
Esse texto é de uma necessidade imensa para um grande número de pessoas que vivem curtindo suas lutas e sofrimentos dessa vida, como um grande troféu e com isso criando mais dores. Deus em sua sabedoria, para que o passado não atrapalhe a nossa vivência atual, nos dá o esquecimento, permitido, apenas que a nossa sensibilidade nos de indicações deste passado por puro merecimento. Tenha uma semana muito linda
Beijos.

Lena disse...

Valéria,
Que ótima a sua crônica! Me vi em vários ambientes familiares, onde tem um ou outro que carrega tanta amarguna, que muitas das vezes até estragam aquele ambiente de alegria e harmomia. Atualmente, tento ficar mais afastada (qdo possível) dessas pessoas que são eternas vítimas, nunca superam suas dores, suas perdas, seus desamores. E essa energia negativa é transferida pra todo mundo que foi pra determinada reunião só por um motivo: ser feliz!
Enfim, temos que praticar a compaixão. Menina do sorriso largo e lindo, você é tudo de bom !!!Bjkas e uma semana iluminada pra você!

Rô... disse...

oi minha querida,

esses últimos dias tive muitos
encontros de família,
e como é bom quando só se tem coisas boas para serem trocadas,
nos enche a alma e o coração,estou cansada,
porque festa desde quinta feira,
mas totalmente renovada...
linda sua crônica!

beijinhos

Minhas Pinturas disse...

lindo texto, parabéns,
mil beijos,
Léah

Aleatoriamente disse...

Uma bela crônica Valéria.
Amei!

Beijinho e bom dia.
Fernanda

claudiaymarques disse...

Válerinha que bacana seu texto...e sabe na minah familia tem pessoas exatamente assim como o tio de Monica..Todos os Natais a minha familia se reune toda na casa do Meu tio em Itajuba em uma casa de parente..Reunião essa que não tenho apreciado mais,devido a todas as situaçoes embarraçosas que acontecem...Já falei para minha mãe que quero ficar em casa,só nós filhos,netos e genros e eles..
Essa reunião envolve pessoas demais...tenho 40 primos só por parte de mãe,é uma loucura,filhos de primos meus enfim..
E ano passado foi examente isso que aconteceu,eu sentava numa mesa,só lamuria..ia para outra só reclamaçao..
E sabe Valerinha temos que tomar cuidado mesmo para não nos tornarmos assim na vida...Pois a medida que o tempo vai passando acumulamos tantos momentos bons,como aqueles ruins que devemos esquecer e não ficar falando deles pelo resto da vida..vamos falar das coisas boas não é??
muitos beijos de bom dia
titi

Livinha disse...

Valéria, belíssimo texto a mostrar que é através das dores que aprendemos a trabalhar os embates da vida.
Deus não coloca fardos pesados sobre ombros leves, a vida vem para cada um de acordo as suas necessidades de evolução.
Sucumbi nas dores ou leva-las pela caminhada, elas não passam. É necessáriobuscar sustentação dentro de nós, afim de que possamos superar as provs da vida jamais vendo tudo isto como obstáculos a ficar entregue a sorte.

Minha querida, são belos textos que sempre postas em teu recanto a nos presentear com lindo ensinamentos de auto confiança e apoio.

Obrigado pelas tus lindas palavras em meu recanto, pelo teu carinho, de sempre...

Tenha um feliz feriado a descanso.



Bjs

Livinha

Jorge disse...

Sempre bom aprender com os outros, mas tem situações devemos passar. Uma das perguntas frequentes que a vida nos faz é se realmente aprendemos .

Minha amiga, beijo no coração!!!

JR disse...

Valéria, teu texto ratificou minhas decisões futuras onde estou lendo pela terceira vez um livro que prova e comprova estes ensinamentos.
Este livro tem sido meu guia diário e está mudando minhas convicções nesta vida.
Amiga, obrigada pela presença perfumada em nossa casa e tambem pela oportunidade que me deu esta noite de ficar um pouco mais na tua.
Beijos.....

Valéria disse...

Oi Valéria!
Que belo texto! Exprime bem o que vemos em muitas pessoas, umas por realmente levarem mesmo um grande peso da sua vida, outras por sentirem um certo prazer em serem vítimas. O pior é quando ao despejarem todasa s suas angústias nos deixam pesados também. Nada parece tocar estas pessoas para inimas coisas de onde se pode tirar o prazer de viver.

Bejo grande!

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Valéria.Muito bom o seu texto, sempre nos ensinando algo.Eu nunca saio daqui do mesmo modo.
Bem, o ser humano tem muitas vezes a facilidade de super valorizar o que sofreu.Em muitos casos dá para compreender, pois foram experiências muito traumáticas, e a pessoa não sabe como lidar com elas.A Mônica fez uma excelente coisa, ela escutou, prestou atenção no seu próximo!
É entediante muitas vezes ouvir lamúrias, contudo, a outra pessoa está desabafando para não sofrer mais ainda.Há de se ter uma sensibilidade e discernimento para lidarmos com esse tipo de situação.
Eu acredito que na maioria das vezes, ninguém fala por falar.A pessoa está querendo uma palavra de conforto ou até de encorajamento!É preciso, na minha opinião, ver os dois lados, sempre!
Um beijo, e ótimo feriado!

ONG ALERTA disse...

Cada um tem um tempo de aprendizado, a vida nos coloca em situaçóes difíeis para sermos pessoas melhores e náo sofredoras, beijo Lisette.

Jeanne Geyer disse...

Parabéns mais uma vez, continues escrevendo.
Muitos utilizam-se de queixas para chamar a atenção, sei lá, talvez seja alguma carência afetiva, não é mesmo?
Só aprendi a observar e aprender com os erros dos outros depois de levar muita pancada, mas antes tarde do que nunca,rsrs
Beijos :)

" ESSÊNCIA ESTELAR MAYA " disse...

Valéria flor querida,

Olha, vou te falar a verdade, reuniões familiares é muito raro eu e meu marido participarmos....a não ser quando já sabemos quem vai....rsrsrsrs(olha que maldade....rsrsrs).

É verdade minha querida, infelizmente tanto do meu lado como do dele, vamos dizer que algumas pessoas não são fáceis.....seria o caso da nossa amiga Monica do texto.
Mas também como ela, nunca fomos grosseiros e mal tratamos ninguém....apenas decidimos não mais compartilhar da energia destas pessoas.
Apesar que a vida já se encarrega disto, não é mesmo?
Quando estamos em outra vibração, automaticamente novas pessoas podem se aproximar e outras podem se afastar, é a Lei do Universo.
Mas muito legal esta história, tirei minha lição também.

Um grande beijo em seu coração!!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails