segunda-feira, 29 de agosto de 2011

PAZ...AGORA! (de ValériaC)

Hoje vou propor um assunto polêmico e muito sério e peço que reflitam com bastante sinceridade para com vocês mesmos.

Vocês se sentem realmente em paz? Se morressem agora, a estariam sentindo em seus corações?

É...geralmente adiamos este refletir e quase sempre ouvimos a seguinte expressão quando alguém morre: agora ele(a) está em paz. Será mesmo?

Eu não quero assustar ninguém, mas sinto que alguém só pode ter paz, quando de algum modo a tem, mesmo que não seja uma constante, seja real em alguns momentos. Esperar que teremos paz quando morrermos pode ser um processo um tanto quanto moroso, se nada fizemos para tê-la ainda em vida. Afinal, paz, é busca e conquista, sempre.

Vou deixar umas perguntas no ar para que pensemos um pouco no quanto temos nos dedicado a encontrá-la em nossas vidas:

- Falta alguém para perdoarmos? Mesmo que essa pessoa tenha nos magoado, nos traído ou nos rejeitado?

- Somos capazes de perdoar a nós mesmos? E termos a humildade de ver que todo “erro” que cometemos na vida, nada mais são do que “caminhos” e aprendizagem? Que não precisamos nos martirizar eternamente por isso, mas sim, seguirmos adiante depois da lição aprendida?

- Conseguimos perceber o quanto cada lição dolorosa que passamos nos fez crescer? Somos capazes de ver tudo como lição sem sentirmos pena de nós mesmos, pois tudo sempre é para nosso maior bem, mesmo os maiores sofrimentos? Conseguimos entender que se ficarmos presos a essa pena e ao fato de nos sentirmos vitimas das situações e pessoas só nos deixam mais presos a elas ao invés de nos libertar?

- Nos sentimos em paz com tudo o que vivemos, sofremos, ganhamos ou perdemos?

Então, se ainda não conseguimos fazer tudo isso, vamos pensar bem e sermos inteligentes em buscarmos pela aceitação, pelo perdão, pela reconciliação, em tratarmos de extinguir o orgulho e em termos muito mais humildade, pois através deste agir, poderemos sentir paz conosco, paz com cada um, com toda situação que passamos e com o mundo. Pode parecer que não seja simples viver desta forma, mas tenho absoluta certeza que é possível.

Não vamos deixar para depois a conquista pela PAZ Interior, vamos trabalhar nela AGORA!

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

DIANTE DA FRAGILIDADE DA VIDA ( de ValériaC)

A todo momento ficamos sabendo de pessoas que recebem o diagnóstico de alguma doença grave, de difícil cura e com certeza, descobrir-se numa situação destas, que traz risco de morte deve ser um “choque” para qualquer um.

Bem sabemos que a única certeza que temos da vida é que iremos morrer(fisicamente), mas deparar-se com a possibilidade de que seja breve, geralmente leva a pessoa a pensar muito em sua própria vida.

Diante disso, fica ou deveria ficar claro o quanto é importante vivermos o momento presente, do quanto é valoroso investirmos em nosso interior, no quanto vale a pena desenvolvermos virtudes, nos tornando um ser humano melhor, mas quase sempre pouco nos lembramos disso na correria que “impomos” em nossas vidas. Sim, impomos, porque tudo o que vivemos e fazemos são escolhas nossas as quais de uma forma ou de outra acabamos por aceitar.

E diante da fragilidade da vida, ao ser surpreendido por uma situação assim, começa-se a dar conta do que realmente é importante na vida. Percebe-se que desperdiçou tempo demais atrás de coisas que podia-se viver sem e/ou o quanto de drama colocou-se em banalidades.

As doenças ou situações “graves” que podem ocorrer na vida das pessoas não vêm para punir, mas como algo a mais para despertar para o essencial da vida, para que sejam mudados padrões mentais, emocionais e espirituais. Tanto que em muitos casos, quando a pessoa se trata e ao mesmo tempo transforma-se interiormente ela obtem cura mesmo quando acometida por graves doenças.

É...isto é algo a mais para estarmos refletindo... não vamos deixar a vida trazer algo drástico em nossas vidas para que nos conscientizemos do que nos é essencial de verdade, impregnemos nossas vidas com boas energias, neutralizemos as “ruins”, trazendo equilíbrio nos seus vários setores, para que desta forma passemos, não sem problema algum, mas que superemos o que tivermos que enfrentar e vivamos com mais leveza e alegria. Porque fomos feitos para ser felizes e somos nós quem temos que fazer isso acontecer, apesar de tudo o que nos cerca.

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

ELOS ( de ValériaC)

Muitos podem ser os elos que ligam uns aos outros, seja pelo pensamento ou pelos sentimentos e emoções.

Elos são feitos com força energética e infelizmente nem todo elo nos faz bem.

Muitos de nós ainda sofremos, sem nem nos darmos conta de elos que fazemos justamente quando vivemos com: raiva, ódio, inveja, brigas, julgamento, medo, desprezo, rejeição e muitos outros sentimentos que ao contrário do que se imagina, criam ligações de uma forma muito danosa.

Primeiramente porque quando os nutrimos estamos emitindo vibrações deletérias aos outros e estas acabam retornando e fazendo tanto ou mais mal a nós mesmos. Isto é uma Lei Universal. E em segundo, porque no final das contas, acabamos ficando como que presos a situações de vida e a pessoas, sem entender porque muitas vezes não conseguimos sair da situação em que nos encontramos, ou não conseguimos trazer mudanças favoráveis em nossas vidas, pois estamos “presos” na teia que nós mesmos tecemos ou melhor, tramamos.

Sabedores disto, convém que fiquemos atentos ao que vibramos, a que e a quem nos ligamos energeticamente, pois isto pode fazer muita diferença em como vivemos, no quanto podemos nos sentir felizes e realizados.

Mais uma vez fica o alerta a cuidarmos muito bem de nós mesmos, em investirmos no nosso melhor, pois tudo o que somos, de alguma maneira, acaba por refletir no meio em que vivemos.

A amizade sincera, o amor, especialmente quando assume a forma incondicional, enfim, todas as virtudes, como bondade, solidariedade, compaixão são atitudes envoltas em energias que tem o poder de nos ligar de forma construtiva e quanto mais fizermos esta escolha conscientemente para nossas vidas e mais pessoas a fizerem também, melhor vai se transformando o mundo.

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

ATÉ QUANDO...? (de ValériaC)

Até quando vamos carregar em nós o que nos fez sofrer?

Sofrimentos, há muitos e de diferentes tipos no mundo, mas independentemente do “tamanho” dele, temos que parar de sentir pena de nós mesmos, pois somente quando assumimos que tudo são lições pelo nosso evoluir, é que podemos nos dar a chance de começar a escrever outros capítulos de nossa história de uma forma diferente, inovadora e se persistirmos, muito feliz.

Não nos condenemos a viver um peso pelo que vivemos no passado, seja por opções que fizemos ou porque fizeram algo conosco que nos feriu de alguma forma. Nos libertemos disto e nos concedamos a liberdade em sermos o melhor que podemos ser AGORA, pois ninguém nasceu para sofrer, apesar de vez ou outra sofrermos, como um dos meios que a vida usa para “despertarmos”, mas nascemos, sim, especialmente para sermos FELIZES!

Texto de: ValériaC

Imagem: daqui

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

COMPARAR-SE ???!!!( de ValériaC)

Jamais, talvez achemos impossível, mas evitemos ao máximo nos compararmos uns com os outros.

Comparar-se sempre traz implícito um sentimento de inferioridade ou de superioridade, apesar que na maioria dos casos, a inferioridade marca mais, porém, nada justifica tal comportamento.

Cada um é quem é, tem a vida que tem de acordo com o que conquistou com esforço, trabalho, dedicação, ou seja de que forma for, com certeza soube ter uma vibração energética adequada e compatível ao que vive.

Na maior parte das vezes, quando nos comparamos à alguém, acabamos por nos sentir em desvantagem e garanto-lhes que achar que os outros tem uma vida mais “fácil” ou melhor que as nossas, e nós, somos vitimas das situações da vida, não ajuda e nem muda absolutamente nada.

Temos é que nos conscientizar que somos frutos do que vibramos energeticamente através de nossos pensamentos, sentimentos, emoções e ações. A responsabilidade sob nossas escolhas é decisiva. Temos que fazer para merecer.

Então, ao invés de nos compararmos aos outros e nos sentirmos inferiores, experimentemos mudar nosso modo de agir, passemos a investir em nosso melhor, em nossas qualidades e dons, que com certeza, todos temos, e nem sempre são os mesmos que os outros, mas com certeza todos tem valor imprescindível dentro da Unidade que somos todos nós.

Não queiramos ser iguais aos outros, saibamos ser o melhor que nós pudermos ser, com nossas peculiaridades, vamos ser como um belo retalho que compõe a colcha maior, que é a Vida dentro do Universo.

Texto de: ValériaC

Revisão: Danilo Carvalho

Imagem: daqui

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

SOU PELA VIDA E PELO EQUILÍBRIO...( de ValériaC)

Sei que vou tocar num assunto delicado, corro o risco de não ser bem interpretada, mas vou tentar, pois só quem vive uma situação problemática de perto sabe como pode ser realmente.

Quem me conhece sabe do amor que sinto pela Natureza e por todos os seres que a compõe. Sabem que sou apaixonada por animais, todos eles, sem distinção. E hoje vou estar falando de uma bela ave: os Pombos.

São divinos, lindos, adoro vê-los voando em bandos pelo céu, eles transmitem um sentimento de calma e paz muito grandes.

Infelizmente, por seu habitat natural estar sendo invadido cada vez mais pelos homens, vieram viver na cidade nos telhados das casas mais altas e prédios, mas o lamentável é que com esta mudança, trouxeram alguns problemas, pois junto com eles vieram os piolhos, toda a sujeira que eles acabam fazendo nos telhados e quintais, além do perigo de transmitirem várias doenças graves ao homem por via respiratória.

Sou muito paciente e ao lado da minha casa há uma outra ainda em construção e nela os pombos encontraram o refúgio perfeito para viver. Claro que eu não podia se quer estender uma roupa no varal, que logo estaria suja. E ainda brincava, porque achava incrível ver que a minha cachorrinha, não faz suas necessidades no quintal, faz na grama do jardim, mas tinha que constantemente lavar o chão por conta da sujeira que os pombos faziam.

Sou radicalmente contra a que matem qualquer ser vivente e nem com todos os transtornos que os pombos causaram pela vizinhança, jamais veria como solução eliminá-los. Sou pela Vida e pelo equilíbrio. A Policia Ambiental foi acionada e disse que nada poderia fazer pois, se há pombos é porque há quem os alimente e infelizmente a fiscalização não é suficiente.

Sei o quanto pode ser bonita e romântica a nossa ideia de alimentarmos os pombos nas praças ou mesmo em nossas casas, mas é algo sério, porque traz em si, um grande desequilíbrio na natureza, uma vez que há poucos predadores naturais e com a alimentação abundante e fácil, eles procriam em demasia. Quem trata de animais assim, acha que está fazendo um grande bem, mas não faz ideia do transtorno que pode estar causando a tantos outros.

Tivemos que lavar todo o telhado com lavadora de alta pressão e instalar telas nos vãos dos telhados para que não pudessem ficar ali, fazendo sujeira e barulho, além de evitar que procriem. Agora a pouco, vi uma outra vizinha mais para cima de casa, colocando as tais telinhas também, afinal tem crianças pequenas e tem que tomar cuidado.

Em muito o problema foi amenizado, mas ainda continua e assim vai persistir enquanto tiver quem os alimente. Se vocês conhecerem alguém que o faça, explique para a pessoa os problemas que podem ocorrer ao alimentarmos os pombos.

A natureza não pede por pena, pede por respeito, por responsabilidade e consciência.

Antes de agirmos movidos por dó ou até por carinho tratando de pombos e rolinhas, vamos nos lembrar que estamos interferindo em mais algo para desequilibramos a natureza. Eles sabem instintivamente cuidar de si, não precisam ser “cuidados” desta forma pelas pessoas. Se não provocarmos desequilíbrios, ao invés deles serem vistos como problemas, continuarão enfeitando o céu, sendo muito admirados por toda a beleza que possuem.

Texto de: ValériaC

Revisão: Matheus Carvalho

Imagem: daqui

sábado, 6 de agosto de 2011

ALMA EM NÓS... ( de ValériaC)

É impressionante a capacidade que temos de perceber o que julgamos ser o “pior” em nossas vidas e o quanto não percebemos com clareza, tudo o que nela possa ser “bom”.

Temos o péssimo costume de achar que ter o “melhor” tem que literalmente ser o suprassumo de tudo e acabamos por menosprezar as coisas “aparentemente” mais simples. Estabelecemos metas que muitas vezes não aceitam o comum, o mediano, mas tem que ser o “Best”, senão não ficamos felizes. E ao fazermos isto, nos sentimos impotentes por não atingir as altíssimas metas que impomos a nós mesmos e ficamos infelizes com o que nos é possível atingir.

Não quero dizer com isso que devemos ser pessoas conformistas, acomodadas na situação que vivemos, é natural querermos progredir, mas dentro de uma realidade possível, caminhando passo a passo, sem fantasias ou metas longínquas demais que tanto nos frustram.

Tenho observado muito a vida e percebido cada vez de forma mais acentuada que o que nos falta é permitirmos maior presença da Alma em nós. Sempre que colocamos “Alma” no que fazemos e seguimos o nosso coração tudo torna-se o melhor em nossas vidas.

Na correria da vida para uns ou na monotonia para outros, tudo o que mais costumamos fazer é afastar a nossa alma e quando assim o agimos, tudo torna-se ruim, pesado e sem graça, nos deixando constantemente insatisfeitos.

Ao passo que tudo o que fazemos deixando a Alma atuar em nós, percebemos de uma maneira bonita, leve, nos gerando alegria e satisfação.

Só para exemplificar: quer coisa mais saborosa que tomar um simples café com leite e comer um pão quentinho com manteiga? Pois então, algo tão simples, mas quando nossa alma está em presente em nós até as coisas mais simples são percebidas com tanta grandiosidade.

Creio que quando efetivamente aprendermos e permitirmos que nossa alma com sua sabedoria aja em nós, tudo passará a ter um outro prisma, tudo poderá ser percebido como os maiores “luxos” e os maiores privilégios por mais simples que possam ser.

Texto de: ValériaC

Revisão: Danilo Carvalho

Imagem: daqui

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

E UM POUQUINHO MAIS SOBRE MATURIDADE... ( de ValériaC)

E prosseguindo neste vasto tema, tenho alguns pontos mais a serem colocados à reflexão.

MATURIDADE é algo que está intrinsecamente ligado ao RESPEITO. Sempre que temos respeito à individualidade em todos os setores da vida para com os outros, nós estamos efetivamente a demonstrando.

Por outro lado, quero deixar muito claro que quando falo em individualidade não estou querendo dizer o mesmo que ser egoísta. Até porque tenho absoluta certeza que podemos ser individuais, termos nossas particularidades no ser, no pensar, no sentir e no agir, porém, quando o respeito se faz presente, tudo pode ser harmônico dentro de um contexto coletivo, de Unidade.

É muito simples fazermos uma analogia: o corpo humano é feito de diferentes tipos de células, e não há conflito nisto, pois todas trabalham cada qual em sua função específica, porém visando uma harmonia em todo o organismo. Cada célula é ligada ao seu grupo de células, fazem seu trabalho e há integração entre todas as demais. Nenhuma é mais importante, pois, todas contribuem pelo bem do todo.

E assim, somos(ou deveríamos ser) nós. Cada um é individual, mas na medida que se faz presente o respeito entre todos e nos lembramos que TODOS SOMOS UM, que estamos interligados a tudo e a todos, que o que se faz para um, gera vibrações e consequências que acabam de algum modo atingindo os demais, podemos ver o quanto que a maturidade e o respeito precisam caminhar juntos.

Portanto, tudo o que somos reflete em todos e em tudo. Com certeza, quanto mais conscientes estivermos disto, mais podemos investir em sermos seres humanos, mais que isto, espíritos vivenciando o humano, da melhor qualidade, vivendo uma vida mais equilibrada e feliz e consequentemente gerando harmonia no Universo.

Texto de: ValériaC

Revisão: Danilo Carvalho

Imagem: daqui

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails